quinta-feira, 17 de março de 2011

Verde que te quero Viridian

Conseguir representar com uma paleta de cores o que os poetas transmitem com a ênfase das palavras, momentos rápidos e coloridos como fragmentos da vida, gramados pontilhados de pequenas flores, folhas transformadas em ouro e o verde inebriante das paisagens, é o sonho de todo paisagista.

E já estamos, outra vez, falando em cores...


Aquarela - Fátima Seehagen


Curiosamente, apesar da variedade de verdes na natureza, uso um único verde em minhas telas – o VERDE VIRIDIAN.


Trata-se de um verde-azulado transparente, com menor força de tintagem do que o ftalocianina, fabricado pela primeira vez em 1838.
No óleo, é uma cor de secagem média - em torno de 5 dias. Como acontece com todas as tintas a óleo, para evitar o amarelecimento das pinturas, não devem deixar-se secar na escuridão contínua ou expostas a um elevado índice de umidade.


Os verdes encontrados na natureza variam enormemente, mas a maioria contém bem mais calor (amarelo e vermelho) do que muitos pintores imaginam. Trabalhando com misturas que tenham por base o verde viridian, conseguimos dosar este calor, de acordo com a nossa interpretação, conferindo personalidade aos nossos trabalhos.

Você pode iniciar experimentando as seguintes misturas:

1º - Verde Viridian + Amarelo de Cádmio
2º - Verde Viridian + Amarelo Limão
3º - Verde Viridian + Amarelo Ocre
4º - Verde Viridian + Azul da Prússia
5º - Verde Viridian + Azul Cobalto
6º - Verde Viridian + Azul Ultramar
7º - Verde Viridian + Vermelho de Cádmio


Depois pode acrescentar o branco em cada uma delas, para conseguir tons mais nebulosos e acinzentados, que podem ser usados nas distâncias maiores.

Para compor uma paisagem com profundidade, divida-a em três planos distintos:

1. O primeiro plano > Distância Próxima.
2. O segundo plano > Meia Distância.
3. O terceiro plano > Plano de fundo.

Para cada plano use um tom, intensidade e temperatura da cor próprios, mais suaves conforme o elemento da paisagem se afasta do observador.

Exagere nas diferenças, realçando os contrastes à medida que se aproximar do primeiro plano.

Para que uma determinada cor pareça mais viva ou mais apagada, de acordo com a necessidade da composição, você precisa estar atento às cores que irão cercá-la na tela.

Para fazer com que a cor pareça mais viva, coloque em torno dela cores complementares ou neutras.

Para fazer com que a cor pareça mais apagada, use em torno dela cores com as quais esteja intimamente relacionada.

A luminosidade de uma paisagem é acentuada quando a área destinada ao céu ocupa um espaço maior.

De um modo geral:

1- Quando pintar uma paisagem, nunca ilumine a tela inteira. A luz será intensificada quando for rodeada por áreas escuras

2- Quando o sol está alto, a luz é branco amarelada. À medida que o sol baixa no horizonte, vai se tornando alaranjado e depois chega ao vermelho.

3- Como a luz modifica todos os tons, junte um pouco da cor da luz a cada uma das misturas que usar. Na maioria dos casos, junte ocre a todos os verdes.

" Há algo no ato de pintar que não pode ser explicado, e este algo é essencial. Chega-se à natureza com as teorias, e a natureza as deita por terra."
Pierre-Auguste Renoir (Limoges, 25 de fevereiro de 1841 — Cagnes-sur-Mer, 3 de dezembro de 1919)

Renoir

Nenhum comentário:

Postar um comentário

- Seus comentários são bem vindos mas me reservo o direito de aprovar ou deletar comentários anônimos, ofensivos, escritos em miguxês e similares, escritos em CAIXA-ALTA, spam e outros borrões.

- Nome e email são desejáveis.

- Não me responsabilizo por opiniões emitidas nos comentários. Essas opiniões não refletem as da autora do blog.